Debate “Let´s talk about Syria” – um contributo d´Os Portugueses EmViagem

“Os Portugueses EmViagem” é um grupo no facebook (http://www.facebook.com/groups/portuguesesemviagem/) criado por João Oliveira, no qual todos os membros partilham um interesse comum: VIAJAR!

O anfitrião, João Oliveira, iniciou este projecto depois de ter feito múltiplas viagens, das quais saliento a sua grande viagem: a volta ao mundo! Tal como refere no seu site (http://emviagem.net/) – “fui dar a volta ao mundo… e ainda não voltei”. Porque é provável que após uma experiência como essa não se volte… de facto! Conheci o João num encontro de amigos, numa noite quente de Agosto. Na altura, eu dizia a uma amiga que há lugares em que vale a pena pagar por um café. 5€ com vista para a Torre Eifel ou 10€ na Praça de São Marcos em Veneza. O João (que eu ainda não conhecia) acrescentou “se tivesses pago 15€ podias ter bebido uma taça de champanhe”! Foi o início de uma amizade bonita. Naturalmente que a noite passou sem que déssemos conta. Afinal o moço tem muitas milhas nos bolsos e, se há coisa que me faz arregalar os olhos e revirar as orelhas, são histórias de outros lugares… de outras gentes!

O João (não se esqueçam que o apelido é Oliveira, mas a estima que lhe tenho impede-me de tais formalidades) é um homem inteligente, reflexivo e crítico em relação ao que o rodeia. Para ele viajar não significa tirar a fotografia na Muralha da China ou na Estátua da Liberdade, em Nova Iorque. Com astúcia percebeu que um viajante traz na sua bagagem um manancial de conhecimento passível de produzir resultados concretos. E se existisse uma forma de colocar estas pessoas em contacto? Se existisse uma forma de partilhar experiências, conhecimentos,…? E como resposta surgiu o grupo no facebook que referi no início deste post. A actividade no grupo motivou o 1º Encontro dos Portugueses em Viagem, a 15 de Outubro de 2011, na Cinateka de Lisboa. Eu estive presente e deixo-vos uns rabiscos (que escrevi nesse dia) e que tinha na gaveta (no ficheiro word, na pasta “divagações”):

<De mãos nos bolsos caminhei sem pressa. Ainda tinha alguns minutos e não queria chegar antes da hora. Reparei num casal que caminhava 10 m à minha frente. Ele de máquina fotográfica ao peito e mochila às costas. Ela de pullover pelos ombros. As mãos dadas. Reparei que conversavam. Não era uma conversa efusiva, como se tivessem a vida para contar. Não. Era uma conversa serena, partilhada… Haverá alguma coisa mais bonita do que partilhar a jornada da vida com alguém? Por vezes as pessoas confundem partilha com perda de identidade. Não tem de ser! Pena que tenhamos de viver para aprender isso… Será que temos de acertar todos à primeira? Adivinhei que o seu destino era o mesmo do que o meu: 1º encontro de dos Portugueses EmViagem, na Cinateka.

O desconforto inerente ao facto de estar sozinha desmotivavam-me os passos. As palavras do J. durante o almoço que tivemos há poucos dias, soavam na minha cabeça:

– Tens de aparecer miúda! Sair e conhecer pessoas.

Ao caminhar pensava: Fogo, logo este fim de semana é que a L. tinha que ir para a Alemanha, a T. ter o Festival de Cinema Francês e a M. ter a festa de aniversário da A. Eu também poderia ter aceite esse convite… As pessoas e lugares habituais… Pois não me apeteceu! A verdade é que tentei por todos os meios ter companhia para ir ao encontro, quis o destino que não fosse bem sucedida e lá estava eu, sozinha e desconfortável com isso!

Assim que entrei na Cinateka tive a sensação de que toda a gente olhou para mim e isso deixou-me constrangida. Rapidamente encontrei um lugar e procurei uma ocupação. O meu iphone, pois claro! Apesar de me sentir como peixe fora de água, de alguma forma sentia uma energia positiva na sala, a generalidade das pessoas estava divertida e pareciam ser, pelo menos na maioria, conhecidos. Parecia ser um encontro de amigos do J., que chegou entretanto, atrasado, como a mim me parece ser comum.

A sessão começou e passados poucos minutos senti que estava no sitio certo e feliz por não ter desistido. Fiquei fascinada com a multiplicidade de histórias e foi tão bom sentir que as dezenas de pessoas que estavam naquela sala, estavam ali com um propósito humilde: PARTILHAR!>

Seguiu-se o 2º Encontro Nacional com pompa e circunstância, no Padrão dos Descobrimentos. Um 3º Encontro no Porto. E outras tantas iniciativas que permitiram juntar pessoas… que o João gosta de chamar ESPECIAIS. E são, de facto! Conheci tantas pessoas neste grupo! Pessoas de quem gosto e que enriqueceram a minha forma de olhar a vida e de olhar o mundo! Pessoas que me trouxeram as histórias que os jornais não contam. Pessoas que me mostraram as fotografias dos sorrisos, dos olhares, das paisagens… Pessoas que viajam à boleia. Pessoas que viajam sozinhas. Pessoas que viajam sem planos. Pessoas que viajam com objectivos muito específicos. Mulheres que viajam sozinhas. Pais que viajam com os filhos… E conheci também a pessoa que comigo partilha mais do que o gosto pelas viagens. Muito mais!…

Mais recentemente o João inaugurou um novo portal de comunicação. O site http://www.portuguesesemviagem.com/ . É uma janela de divulgação das iniciativas do grupo e também um centro de recursos, para que todos aqueles que vão viajar possam encontrar dicas que não estão presentes em nenhum guia de viagem. Para quem gosta de usar a frase “tens alguma sugestão que não seja muito turística?” este site tem a resposta!

Deixo para o fim o motivo pelo qual hoje escrevi sobre “Os Portugueses EmViagem”. O João surpreendeu mais uma vez! Pela sua capacidade de organização. Pela sua sensibilidade para as causas humanas. Pela certeza de que n“Os Portugueses EmViagem” existe quem possa partilhar o seu testemunho, na primeira pessoa. Surge assim o 1º Debate dinamizado no grupo: “Let´s talk about Syria”, no próximo Sábado, dia 22 de Setembro, no Grémio do Carmo. No programa constam os nomes de o Tiago Carrasco e o João Fontes do Projecto “Estrada da Revolução”, entre outros. Poderão encontrar mais detalhes em (http://www.portuguesesemviagem.com/1ordm-debate-emviagem.html). Tenho imensa pena de não estar presente (por estar em França). Acreditem que me fico a roer de inveja daqueles que vão marcar presença. Não existem assim tantas oportunidades como esta. Sair da rotina e ter conversas suculentas, com ideias e substância.

E termino com uma frase do João “Que esta nossa conversa seja um ponto de partida solidário. Por enquanto é pouco aquilo que podemos fazer, mas há uma atitude importante que esta reunião significa: não estamos indiferentes.”

Apareçam! E depois contem como foi!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s